Holandeses criam centro de aprendizagem ecológico para crianças

Postado em 10/03/2011 ás 15h10
Centro de Atividade e Aprendizagem para crianças. Feito de bambu local o projeto prevê um cinema, auditório para palestras e peças de teatro e biblioteca com livros sobre permacultura e tradições locais. (Imagem:Kiattipong Panchee e Boris Zeisser)

O resort de seis estrelas Soneva Kiri está localizado em Koh Kood, uma ilha no Golfo da Tailândia. Esse foi o local escolhido pelo escritório de arquitetura 24H para projetar uma série de ícones que se tornaram referência em design e ecologia.

O mais notável é o Centro de Atividade e Aprendizagem das Crianças, criado pelos arquitetos holandeses Boris Zeisser e Maartje Lammers, juntamente com seus colaboradores. O local irá proporcionar às crianças que visitam, um vasto leque de atividades lúdicas com o objetivo de elevar o nível de consciência ecológica. Este retiro de 165 m2 de área construída, prevê um auditório/cinema para filmes, palestras e peças de teatro, uma biblioteca com livros sobre permacultura e tradições locais, uma sala de artes e uma sala de música e moda dando assim às crianças tanto educação criativa, como ecológica enquanto brinca.

O recanto está localizado em uma encosta rochosa próxima ao mar. A cúpula de bambu foi inspirada pelo formato de uma Raia-Manta, de modo a oferecer vistas magníficas e parecer lançar-se na baía. A estrutura e o telhado são feitos de bambu local (tailandes), contribuindo ainda mais para a abordagem ecológica do resort. O interior é feito a partir de plantações locais de River Red Gum Wood e elementos de vime estruturais para as cúpulas interiores.

Ao lado do albergue, existem “pufes” para as crianças dormirem e um banheiro. O local conta com um espaço para cozinhar, com horta para as crianças prepararem seu próprio almoço com um cozinheiro especial.

O projeto adota todos os aspectos bioclimáticos para se adaptar ao ambiente tropical úmido. O telhado levanta até oito metros agindo como um grande guarda-chuva fornecendo sombra e proteção. O projeto aberto, com o telhado translúcido que se eleva e o piso reverso, permite um fluxo natural de ar no interior e o uso de luz natural, limitando o consumo energético do edifício.

Redação CicloVivo

 

Anúncios