Permacultura: Estratégia de Planejamento Sustentável

Cecília Arlene Moraes[1]

A biosfera terrestre atua como um sistema fechado, a manutenção natural dos seus elementos segue uma dinâmica cíclica. A extração e a utilização maciça, de forma linear, de recursos naturais não renováveis, e a deposição de resíduos neste mesmo espaço ambiental, implica na exaustão e degradação destes e de novos elementos antes concentrados, ocasionando instabilidade no sistema global e a indisponibilidade de recursos às sociedades futuras. Portanto, sustentabilidade é incompatível com o capitalismo selvagem, com lucros exacerbados ao curto prazo, em detrimento de outros seres vivos, quer sejam, humanos, vegetais ou animais.

 

A sustentabilidade urbana ou rural está atrelada a um novo conceito – design – estratégia de planejamento sistêmico de espécies animais e vegetais perenes, ou que se perpetuam naturalmente e são úteis ao ser humano. Este sistema sustentável foi na década dos anos 1970, cunhado por Bill Mollisson, de Permacultura, um modelo de cultura sustentável, lastreado por princípios éticos e de design.

 

É um novo paradigma, significa que antes de agir deve-se fazer a conexão: Sentir/Percepção – Pensar/Estudar – Planejar/Design. Usar a inteligência, preferencialmente de forma coletiva, por uma equipe multidisciplinar para criar ambientes e sistemas integrados flexíveis que tornem tudo produtivo, com múltiplas funções, atuando com responsabilidade, consciência, e compromisso com as gerações futuras. É ampliar a visão se desdobrando para 20, 50 e mais de 100 anos, transformando as ações em impactos positivos.  É reverter impactos negativos já causados ao longo do tempo e recuperar áreas degradadas.

 

Na Permacultura a estratégia de planejamento com sustentabilidade é, por exemplo, a bioconstrução de casas, edifícios, escolas, escritórios, propriedades rurais, relacionados com três eixos éticos: cuidar do ambiente natural o sol, a água, a terra; cuidar do ambiente social, das pessoas, das comunidades, considerando sua identidade cultural, seus hábitos e costumes; empreender um sistema produtivo com gestão organizacional sustentável, capaz de gerar trabalho decente, produtos e serviços de elevada qualidade, preço justo, distribuição de renda e compartilhar excedentes. O propósito é manter uma nova ordem de Eco-Ação usando os 6 R: Repensar (Sistema Holográfico Vivo); Recusar (Evitar Consumismo); Reduzir (Evitar o Desperdício e o Retrabalho); Restaurar (Revitalizar Espaços, Peças e a Identidade Cultural); Reutilizar (Dar novas formas de uso aos Recursos Naturais e Materiais); Reciclar (Transformar os Materiais). Permacultura é viver conectado com a natureza, onde nada se perde tudo se transforma, faz parte do todo, na relação de todos os seres vivos conectados: Somos UM!

 

O pensamento e a visão holográfica de mundo são diferentes, da situação de desenvolvimento posta atualmente. È uma forma conectada de percepção, do processo de gestão, volta-se para o desenvolvimento econômico local enfatizando o desenvolvimento humano e a responsabilidade socioambiental. É uma grande virada!

01/Outubro/2010

 

[1] Administradora, Mestre em Saúde e Ambiente, Doutoranda em Psicologia, Professora da UFMT, Permacultora, Consultora em Tecnologia de Gestão com Sustentabilidade. athenna@terra.com.br




[1] Administradora, Mestre em Saúde e Ambiente, Doutoranda em Psicologia, Professora da UFMT, Permacultora, Consultora em Tecnologia de Gestão com Sustentabilidade. athenna@terra.com.br

Anúncios